Skip to content

Dia: 21 de Fevereiro, 2019

Chaves para escolher o melhor calçado para correr

Atualizado el06 de abril de 2018, 13:54

Ter um calçado confortável e bem adaptado ao nosso pé já é fundamental no dia-a-dia. Ainda mais se vamos forçar nosso corpo a fazer exercício. O Conselho Oficial de Podólogos foi realizado um relatório alertando sobre as análises de pé do que fazem algumas lojas e marcas esportivas para escolher o modelo de sapatilha. O relatório é demolidor.

QUE RISCO EXISTE QUANDO CORRO?

As estatísticas dizem que a metade dos atletas que irão sofrer ao menos uma lesão. O que acontece é que a maioria não se revestem de gravidade. Não se trata de causar alarmismo. No entanto, isso pode complicar-se se ocorrem várias ou se não se põem os meios para frenarlas na medida do possível: um bom aquecimento, fazer o esporte de forma regular, não exceder-se e levar o calçado adequado.

Relacionado com este artigo

SAÚDE PRÁTICA

Os corredores e praticantes de squash são os que mais riscos têm de sofrer lesões nas articulações das pernas e pés. Até 34% dos que se dedicam a correr acabam com lesões. Se incluem todo o tipo de corrida: trail, maratona, médias distâncias ou o triatlo.

COMO É ÚTIL O ESTUDO DE PASSO?

Atualmente, são muitos os centros comerciais e as marcas esportivas que utilizam como ação de marketing, o estudo da pisada para recomendar o calçado ou modelos pré-definidos. O relatório dos podólogos aponta que estas provas são “enganosas” e que uma má escolha do calçado pode contribuir para o aparecimento de lesões ou ao seu agravamento.

Estas análises apontam três tipos, de acordo com a pisada algo para fora (supinador), algo dentro de nós (ulnar) ou nada (neutro). De acordo com o doutor Ángel G. da Loira, presidente da Sociedade Portuguesa de Podologia Esportiva, esta análise do pé é excessivamente simplista e pode ser prejudicial. “É um insulto para dar uma avaliação de algo que requer um profissional com quatro anos de carreira e que, além de valorizar a passo, também valorizamos o estado da coluna, quadril e joelho”.

Cerca de 40% da população não apoia bem o pé. Ao colocar o pé para dentro ou para fora não é uma regra exata. De fato, a maioria das pessoas, até mesmo aqueles que pisam bem costumam tender a apoiar para dentro. É normal, não há que corrigi-lo. E, por contra, menos de 1% apoiam para fora.

Relacionado com este artigo

Propósitos

O QUE HÁ QUE FIXAR-se EM um TÊNIS para correr?

“Há uma dezena de grandes marcas comerciais que são de todos conhecidas e que fabricam produtos de qualidade -esclarece o doutor da Loira-. Mas você tem que saber o modelo adequado para cada um”. A grandes traços, há quatro elementos a ter em conta:

  • O amortecimento. A grande inovação neste campo chegou com as solas de um material chamado EVA. Em seguida, outras marcas têm acrescentado ar ou gel para reduzir os impactos e proteger o joelho, que é a grande sofrendo ao longo das horas de exercício. Mas tão importante como a sola é o peso do atleta. As sapatilhas costumam ter um modelo diferente a cada faixa de peso. Aquirir umas com demasiada amortecimento pode afetar a estabilidade da pisada e acabar perjudicándonos.
  • A estabilidade. A sapatilha tem que ser suficientemente rígida para direcionar corretamente o movimento do que toca o calcanhar no chão, até que o abandona. Muito relacionada com ela é o controle de pronação, ou seja, o grau de inclinação para dentro, movendo o pé. Se é muito grave, o podólogo irá recomendar alguns modelos adequadas para corrigi-la.
  • A leveza. Há três modelos padrões:
  1. Treinamento, que pesam cerca de 350 gramas. São as mais recomendáveis para um atleta comum.
  2. Mistas: pesam em torno de 250 g e normalmente são utilizadaspara competir em corridas curtas.
  3. Voam: tem em torno de 180 gramas, muito leves, mas limitadas a atletas profissionais, pois devido ao seu pouco peso têm pouca estabilidade e as articulações acabam pagándolo.
  • O desenho e o material de corte. Isso vai depender de onde você vá a fazer desporto. Se você fizer desporto pela montanha, você vai precisar que a sola tenha mais relevo para agarrar melhor no terreno. Cabe lembrar que a superfície recomendada é a de terra ou gramado e não o asfalto em que habitualmente nos movemos. Igualmente, o revestimento interno deverá ser de materialesresistentes água se você estiver indo para ir pela montanha.

QUANDO EU TENHO QUE IR AO PODÓLOGO?

Se você está determinado a fazer desporto de forma regular, é claro que a visita é obrigatória desde o dia antes de você comprar as sapatilhas. “O podólogo desportivo deve conhecer os modelos que existem no mercado e aconselhar sobre o leque de posibilidadesque são ideais para sua morfologia e modelo personalizado”, acrescenta o doutor da Loira.

Com as recomendações e características marcadas pelo podólogo agora depende de ti escolher a marca, a cor e o desenho que você mais gosta.

Dependendo da frequência com que praticam o esporte, tenha em mente que você pode optar por comprar dois pares e deixar passar um dia de descanso depois de cada sessão, para que a sapatilha recupere a sua forma.

Comments closed